seguros-para-moviles-mojados-b2b-soluciones

O seguro de habitação cobre um telemóvel molhado?

O seguro de habitação cobre um telemóvel molhado?

Um telemóvel está coberto no seguro de habitação?

A resposta é… depende. As coberturas do seu seguro habitação estão escritas no contrato do seu seguro. Já pensou se lhe roubam o telefone ou se o perde? Em muitas destas situações o seguro de habitação entra em jogo.
Ler mais

IPID-Para-os-Consumidores

IPID para os consumidores

O IPID é um requisito introduzido pela Diretiva 2016/97 (através do Regulamento de Execução 2017/1469) do Parlamento Europeu sobre a distribuição de seguros.

É um Documento de Informação do Produto de Seguros, uma ferramenta muito útil e que torna mais fácil para o consumidor a tomada de decisões, de acordo com determinados critérios de informação, na hora de comprar um produto de seguros.

A Diretiva estabelece medidas mínimas para a proteção do consumidor: os Estados da União Europeia podem adotar medidas mais rigorosas, mas nunca reduzir o requisito das estabelecidas pela diretiva.

A Diretiva 2016/97 limita a extensão do IPID a duas páginas e fornece aos distribuidores o formato IPID que devem fornecer aos clientes.

A seguradora ou o mediador, tem apenas que completar o modelo oficial com as particularidades de cada programa de seguros e enviá-lo aos distribuidores, que o transmitem aos clientes antes da apólice.

Toda a documentação informativa deve ser fácil de usar, isto consegue-se através do uso de textos ou ícones de fácil entendimento, por forma a chamar a atenção do consumidor e conseguir que se interesse pelas secções relevantes e identifique as informações importantes.

Para ver o modelo proposto de IPID da Insurance Europe clique aqui

insurtech-A-revoluçao-digital-do-Seguro

Insurtech: A revolução digital do Seguro

O que é Insurtech?

A evolução tecnológica está a provocar uma revolução digital no mundo dos seguros, e é por isso que as seguradoras não param de se perguntar: o que é Insurtech?

Se dividirmos a palavra, descobrimos que é uma combinação de Insurance (seguro) + Technology (tecnologia), e não é mais do que a união entre companhias de seguros. Uma união onde as empresas de tecnologia e startups dedicam os seus esforços para desenvolver novos modelos de negócios, onde sabem muito bem o comportamento real dos consumidores que lhes permite oferecer produtos inovadores. Isto implica a abertura de novos mercados e modelos de negócio voltados para o cliente final no mundo dos seguros.

Como já tem vindo a acontecer com a transformação nos processos digitais de serviços financeiros, com a Fintech, a Insurtech surge da crescente necessidade de garantir não só produtos, mas também:

  • Momentos
  • Estilos de vida
  • Experiência
  • Períodos de tempo determinados

Insurtech: Seguros adaptados ao consumidor digital

Tudo isto com a grande vantagem de ter uma plataforma online, 24 horas e sem esperas. Uma cadeia de valor que somente a tecnologia pode oferecer, um dos motores do fenómeno Insurtech.

São as novas tecnologias que todos os dias geram novas circunstâncias e novas necessidades de proteção para o consumidor, obrigando a transformar a regulação existente. Essa nova realidade vai precisar de regulamentação própria, dando mais segurança na transação para o cliente final.

A capacidade de obter mais e melhores dados, permite que as seguradoras sejam muito mais eficazes ao definir procedimentos internos e, acima de tudo, que sejam capazes de medir riscos mais eficazmente, permitindo oferecer melhores produtos a consumidores cada vez mais exigentes e adaptados aos novos costumes sociais.

Trata-se de uma economia colaborativa, de wearables, carros autónomos, Big Data…

De acordo com dados recolhidos pela consultora PwC no relatório Opportunities await: How InsurTech is reshaping insurance’, las inv, os investimentos em startups de Insurtech multiplicaram-se por 3 entre 2014 e 2016. O investimento acumulado no setor desde 2010 supera os 3.400 milhões de dólares.

As tendências sociais e tecnológicas, que mudaram as necessidades dos clientes e as suas expectativas, são uma fonte importante de oportunidades para as seguradoras especialistas em tecnologia. O setor de seguros e os reguladores estão cientes de que esta nova realidade precisa de uma estrutura regulatória adequada para cobrir todas as novas circunstâncias e assim fornecer mais segurança ao cliente. Não há dúvida de que o Insurtech mudará a maneira de trabalhar na comunidade de seguradoras.

seguros-affinity

O que são seguros Affinity e quais são os seus benefícios?

O que são seguros Affinity e quais são os seus benefícios?

Os seguros Affinity, ou de afinidade, são uma criação recente.

Esta modalidade de seguros nasceu da ideia de oferecer seguros personalizados que englobem um grupo de pessoas com interesses comuns ou que pertencem ao mesmo grupo ou setor: são seguros para casos e grupos específicos que oferecem benefícios desenhados e adaptados às suas necessidades específicas.

Tipos de seguros Affinity:

Dentro dos seguros Affinity podemos encontrar as seguintes categorias:

  1. Seguros para motociclistas.
  2. Seguros para expatriados.
  3. Seguros para surfistas.
  4. Seguros para golfistas (Deterioração de materiais, cobertura de possíveis danos causados por acidentes…).
  5. Seguros para sofás, colchões…
  6. Seguros Gama Branca (Frigoríficos, máquinas de lavar roupa, máquinas de lavar loiça…).
  7. Seguros Gama Castanha (Televisores, computadores, consolas…).
  8. Seguros Gama Cinzenta (Produtos eletrónicos…), etc.

Devido à sua condição especial, podemos encontrar um grande número de categorias de seguros Affinity que englobam as necessidades específicas de diferentes setores ou grupos de pessoas.

Evolução dos seguros Affinity

A evolução dos seguros Affinity fez com que, atualmente, estes se caracterizem principalmente por:

  1. Cobertura e proteção de bens e serviços domésticos e produtos eletrónicos.
  2. Unem-se a um produto ou serviço oferecido por um distribuidor que não é Segurador.
  3. Não representam o principal motivo para a compra do cliente (é um serviço adicional).

Portanto, hoje em dia, os seguros Affinity são destinados a pessoas que desejam proteger os seus ativos ou produtos, principalmente bens domésticos e produtos eletrónicos. Por isso, podem ser definidos como qualquer garantia de seguro, assistência e / ou serviços acessórios, vinculados a um produto ou serviço oferecido por um distribuidor não segurador e que não representa a razão principal para a compra do cliente. Além disso, eles estão divididos em três setores de atividade:

  1. Extensão de garantia.
  2. Contrato de assistência.
  3. Painel de serviços complementares (como serviços associados a cartões de crédito).

Para entender melhor este conceito, deixamos-lhe um exemplo:

Ao comprar um Tablet, este traz associada uma garantia de dois anos. O vendedor pode então propor a extensão dessa garantia por um período similar, ou seja, adicionar outros dois anos de garantia ao seu Tablet, uma vez que a garantia de dois anos do fabricante esteja concluída. Esta extensão de garantia é um seguro Affinity.

Os seguros Affinity destinam-se principalmente a bens domésticos e dispositivos eletrónicos, mas, ao mesmo tempo, abrangem uma vasta gama de produtos e serviços, como os serviços específicos desenvolvidos para cartões de crédito e outros meios de pagamento.

O-que-e-a-Blockchain

O que é Blockchain? E quais as suas vantagens?

Blockchain no setor segurador: O futuro dos seguros

Provavelmente já ouviu falar da Blockchain no setor segurador, mas se não sabe o que é e como se comporta, deixamos-lhe as ideias-chave de seguida:

  • O Blockchain é uma base de dados partilhada que elimina os intermediários das transações.
  • É segura, a informação é constantemente atualizada por pessoas autorizadas sem ter um intermediário.
  • Caracteriza-se por estar descentralizada e numa plataforma comum.
  • Graças à criptografia e distribuição P2P, tudo é protegido e não armazenado em lugares concretos, melhorando a segurança nos processos.

Blockchain no setor segurador: Que mudanças haverá nos seguros que conhecemos até agora?

Podem e devem adaptar-se às necessidades específicas de cada setor e até mesmo de cada projeto.

A blockchain permitirá a criação de contratos inteligentes, contratos capazes de auto-execução, uma vez cumpridas as condições estabelecidas na sua programação.

Ler mais